segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Passarinho que come pedra...

O professor Procariontes dos Eucariontes era considerando o mais inteligente da cidade de Piranga. Com um vocabulário de dar inveja aos outros mestres, Procarionte dos Eucariontes era chamado para escrever os discursos dos vereadores e do prefeito da cidade. Na inauguração da nova igreja matriz de Piranga, que lembra as obras de Oscar Niemeyer, Procariontes dos Eucariontes tirou de sua pasta um bloco de folhas com um discurso escrito em uma velha máquina de escrever.

Eloqüente e incisivo, Procariontes dos Eucariontes gritava aos quatro cantos do coreto:

- Piranguenses, burgo de minha urbe e de meu cerne. Eis que estou aqui como um humilde servo para apresentá-los a nova igreja matriz da nossa apetecida cidade. Uma igreja que explana o que temos de mais coevo no século xx e com os arrabaldes de um mestre da arquitetura hodierna. Hoje é um passo significativo para a modernização de nossa urbe e para o futuro promissor desta comarca povoada de guarás-pirangas. Estou muito probo em ser o pregador desse momento de transformação, no qual o povo piranguense terá uma obra de arte plantada juntos aos coqueiros da Praça. Sem dúvida, com esta obra briosa, não sobrará pedra sobre pedra, da antiga igreja que nada mais acrescentava à nossa magnânima cidade.

( Será?)

E ele continuava:

- Eis que o prefeito incidiu em sua administração ao delinear uma igreja redonda, que nada mais é, do que o futurismo dos anos setenta que contempla os intelectuais e o povo arrastado que vontade de chorar. Somos a sabatina viva de que Piranga está há um passo da civilização futurística e que, agora, o asfalto é questão de período e sobriedade dos gestores dos poderes Executivo, legislativo e Judiciário. Eu, como professor e pregador, sou prova acalorada e contundente de que a cidade está evoluindo para o crescimento sustentável. Como diz a velha canção, quem sabe faz à hora, não espera a acontecer. Muito obrigado!

Aplaudido pelos intelectuais, Procariontes dos Eucariontes desceu as escadas do coreto e num susto tropeçou com as próprias pernas e bateu a cabeça no chão. Foi levado as pressas ao hospital para cuidar de um corte que tinha na testa e de um “galo” que aparecera em sua cabeça.

Foi para a casa e Procariontes dos Eucariontes adormeceu. Dois dias dormindo. Quando a sua esposa resolveu acordá-lo, ele espreguiçou-se e sorriu. Levantou-se da cama e foi tomar café. Ainda calado, a sua esposa perguntou a ele:

- O que foi, Procarionte? Está tão calado?

- Uai, to com uma fome danada de besta. Num vejo a hora de devorar este pão com café pra dispois dar aula. Meus aluno istão mi esperando na iscola. Oiá, faz logo a lista de compra qui vou passar na frente do mercadinho pra mode de pedir a comilança.

A esposa do Procarionte levou um susto, o homem não dizia uma palavra certa. Era outro homem. A sua sabedoria tinha ido embora quando bateu a cabeça no chão. E, naquela semana, tinha outra inauguração na cidade. E o prefeito já havia combinado com ele.

Pois bem, no dia da inauguração, Procarionte dos Eucariontes estava no palanque com o discurso escrito na mão. Dessa vez foi à esposa que escrevera, pois sabia das condições do marido. O prefeito, então, iniciou:

- Piranguenses, estou inaugurando o novo hospital público para a nossa comunidade. Não deu para fazer muitas coisas, pois o dinheiro estava curto porque os governos estadual e federal estão em crise. Mas é o primeiro passo e o professor Procarionte dos Eucariontes está aqui para mostrar que mesmo faltando recursos, a prefeitura de Piranga está preocupada com o bem-estar do povo.

Procarionte pegou o microfone e começou:

- É, povão, lascados nós estamô, lascados ficaremo. Com farta de dinheiro na conta da prefeitura, cada um sabe onde o sapato aperta. Por isso que digo que cada macaco fique no seu gaio, para não dar gaio para o povo. Um hospital sem C.T.I é comer o pão que o diabo amassou. Afinal, passarinho que come pedra sabe o C* que tem.

Nunca o professor Procarionte dos Eucariontes foi tão aplaudido pelos populares.

Nenhum comentário:

Postar um comentário