quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Onde está o dinheiro? Cap.03

Capítulo 03

Mário manda uma mensagem para o celular de Menezes e este estava no seu bolso.
- Como está frio, coitadinho... – dizia Tereza para Menezes, no velório.
Tereza Castanhas chorava e falava baixinho no ouvido do Menezes.
- Merecia estar quente, ardendo na boca do inferno. Pensando bem, ele sempre foi frio na cama.
- Tereza Castanhas, não diga isso... Vá que o homem se revolta e volte.
O celular do Menezes vibra, era a mensagem chegando.
- Jesus!!! Ele deu um sinal... Sinal de vida.
Tereza o interrompeu.
- É seu celular.
Menezes se recompõe e pede licença. Lê a mensagem: “Jacaré no seco anda?”. Ele responde: “No seu, no seu”.
Ele sabia que o seu companheiro estava no velho fusca o esperando. Finalmente, Menezes chega e Mário dá um sorriso.
- Menezes, já sei onde está o pulo do gato?
- Então vamos resolver logo, antes que ele suba no telhado com o defunto.
- Nós vamos abrir duas frentes de trabalho...
- Entendi...
***
Linda encontrou Lucas em um bar no centro da cidade. Lá estava ele, tomando um refrigerante. Ela estava voltando do enterro do pai e estava inconsolável. Aproximou-se do namorado e o abraçou.
- O que você tem Lucas?
Lucas estava chorando.
- Minha mãe está com aquele tipo raro de câncer, mesmo. – chorava.
Linda não esperava por essa. Sentiu o coração bater mais forte... Mais essa.
- Então vamos fazer o que eu já tinha planejado. Nós vamos levá-la para os Estados Unidos. – disse, decidida, Linda.
- Linda, você acabou de perder o seu pai...
- Eu gosto muito da sua mãe. Não vamos perdê-la. Olha, eu vou com você. Invento mil mentiras lá em casa. Mas não vamos deixar a sua mãe morrer aqui no Brasil. – disse Linda.
Lucas abraça a namorada.
***
Menezes estava no seu velho fusca seguindo o carro de Silas. O coitadinho do fusca corria atrás da Mercedes soltando fumaça nas avenidas, ruas e becos. Mas não podia perder o Silas de vista. Esse caso tinha que ser solucionado e assim ele e Mário podiam colocar a mão no alto pagamento. Mas Silas percebeu o velho fusca soltando tiros de fogo no escapamento e resolveu levá-lo até uma favela. Assim que Menezes percebeu que estava em uma rua sem saída, tentou fazer a volta. Mas era tarde demais. Silas o aguardava com uma arma na mão.
***
Tereza Castanhas procurou Mário no velho escritório e ele estava esperando o telefonema de Menezes que não vinha. Mário recebeu Tereza e esta estava mais inconsolável. Agora, por outro motivo... A sua filha Linda estava partindo para os Estados Unidos passar um tempo com a amiga e esquecer a morte de seu pai. Tudo mentira. Estava tentando ajudar a mãe de Lucas.
- Tereza, e que dia a sua filha vai?
- Amanhã. Achei que ela ficaria aqui me ajudando com o testamento e, claro, achar a herança... Meu Deus! Minha vida virou de perna pro ar.
Mário tentava consolar.
- Tereza Castanhas, às vezes a vida muda, da uma reviravolta para melhor. Depois da tempestade vem à bonança. Nunca se esqueça disso.
***
Enquanto Linda arrumava as malas, ela se lembrava dos últimos meses que viveu com Lucas. Nunca esteve tão apaixonada. Era sim um verdadeiro amor. O que sentia pelo Silas era somente uma simpatia, na verdade um agrado para a família. Principalmente para o pai. Mas estava decidida a fazer de tudo para salvar sua sogra. Devia isso ao Lucas, já que ele estava lhe proporcionando o que há de maior nesta vida. O amor.
Mas a família não poderia saber do seu caso com aquele garoto. Principalmente agora que a vida de toda a família estava um tumulto. Assim que colocou a última peça de roupa na mala, ela ouviu Silas lhe gritando. Ela desceu as escadas e viu o noivo com o Menezes.
- Linda, peguei esse pangaré me seguindo.
- Menezes?
Menezes deu um sorrisinho sem graça.
- Este é o detetive que minha mãe contratou. – disse Linda.
- Sim... Eu falei... Mas ele não acredita. – gritava Menezes.
- E por que diabos você estava me seguindo?
- Não estava... Só estava no mesmo caminho que você ia...
- Mentira!
Menezes retrucou.
- Olha cuidado... Andar armado é muito perigoso.
Linda assustou.
- Você anda armado?
Silas sem graça responde que sim. Segurança pessoal.
- Silas, deixa o Menezes ir... Ele já se explicou.
Silas soltou Menezes e foi em direção à moça.
- E agora você é quem vai me explicar... Por que esta viagem repentina?

Nenhum comentário:

Postar um comentário