quarta-feira, 18 de abril de 2012

Introspecção

Por que eu estou aqui? Lendo este escrito? Eu não quero ser poeta. Eu não quero ser injusto. Eu não quero representar. Silêncio! Vocês que ai estão, olhem aos seus redores... Vejam quantas pessoas unidas por um objetivo. A vida. Vocês ouvem a minha voz.... Mas esquecem da arte do viver.

 Agora, silêncio.... Ouçam lá fora o clamor de socorro, sintam o frio nos olhares lacrimejados de esperanças sintam a fome na comunhão escassa E olhem para estas pessoas. Elas se despendem de nós... a cada instante, da vida. Escutem.... Meu Deus! Quero um agasalho. Escutaram? Não?! Então escutem o seu interior. Fecham os olhos, imaginem um lugar lindo e vejam as pessoas felizes. O seu interior não é utópico, é real. É só sentir a minha mão.

Somos um só. Sintam o meu abraço. O meu coração. Estou vivo. E posso te abraçar e dizer que te amo. É maravilhoso, viver. Mas ouço.... Meu deus! Quantas pessoas chorando, querendo este abraço. Vamos, vamos. Rápidos.. Todos levantem as mãos, por favor, levantem as mãos. Transmitimos a paz e o aconchego de que elas precisam. É o início. Vamos aplaudir essa energia que nos conduz agora. Aplausos. E que a esperança nos conduza à solidariedade humana.

Nenhum comentário:

Postar um comentário