terça-feira, 14 de agosto de 2012

Resiliência: a chave para o sucesso


Essa qualidade, que faz de nós profissionais mais criativos e hábeis para solucionar problemas, é apontada como a principal competência para enfrentar os desafios do século XXI

A palavra tem sonoridade estranha e significado pouco conhecido, mas pode fazer a diferença na sua carreira. Já o conceito é emprestado da física: é a capacidade que alguns materiais têm de retornarem ao estado normal depois de submetidos à tensão máxima.
No ambiente profissional, podemos definir resiliência como a capacidade de resistir às adversidades e reagir diante uma nova situação em momentos de pressão ou difíceis, e é uma qualidade essencial para enfrentar os desafios desta primeira metade do século XXI.
Uma pesquisa realizada pela Fundação Getulio Vargas de São Paulo (FGV) mostrou que o nível de resiliência de um profissional é determinado por nove fatores: autoeficácia, solução de problemas, temperança, empatia, proatividade, competência social, tenacidade, otimismo e flexibilidade mental. Cada um deles contribui de maneira diferente no enfrentamento de problemas e tomada de decisões.
A boa notícia é que a resiliência pode ser desenvolvida, principalmente em situações que testam os limites do profissional. Conheça os nove fatores da escala da FGV de resiliência e como adquirir cada uma.

1 – Autoeficácia

É a capacidade que o indivíduo tem de organizar e executar as tarefas para produzir os resultados desejados. Para desenvolvê-la é necessário tomar consciência do conceito que faz de si mesmo e identificar o padrão habitual de atitudes. A psicoterapia e a realização de projetos de forma sistêmica podem ajuda-lo a perceber melhor as situações.

2 – Competência social

É a capacidade de buscar apoio externo em momentos de estresse. Os treinamentos de desenvolvimento de liderança, comportamento ético e melhoria de relações contribuem para o aprimoramento da competência.

3 – Empatia

É a habilidade de colocar-se no lugar do outro, essencial tanto na competência social quanto na solução de problemas. Para desenvolver o aspecto, ao ler um livro ou assistir a um filme, observe a psicologia e tente se imaginar no lugar dos personagens.

4 – Flexibilidade

É a capacidade de pensar opções e agir e, se não der certo, escolher outra opção e persistir. Atividades que desenvolvem a flexibilidade do corpo, como ioga ou dança de salão, também contribuem para a flexibilidade da mente. Cursos que permitem “pensar fora da caixa” e estimulam a criatividade também são recomendados.

5 – Tenacidade

Trata-se da capacidade de aguentar situações difíceis e incômodas e não desistir facilmente. A prática de esportes aprimora a disciplina e expõe os limites do corpo, contribuindo para o desenvolvimento da qualidade.

6 – Solução de problemas

É a atitude de diagnosticar a questão, planejar possíveis soluções e agir, sem perder o controle das emoções. Jogos de estratégia ajudam a desenvolver esse fator, mas a melhor escola é mesmo a dedicação diária para colocar projetos pessoais e profissionais de pé.

7 – Proatividade

Refere-se à propensão a tomar iniciativas em busca de soluções novas. A orientação de profissionais mais experientes pode ensinar como agir e dar respostas certas.

8 – Temperança

Significa administrar a impulsividade e a raiva, controlando as emoções e mantendo a serenidade em momentos difíceis. Diante da situação, medidas paliativas como ouvir uma música ou sair para beber uma água são válidas. Para desenvolver a qualidade, exercícios físicos, meditação e psicoterapia.

9 – Otimismo

É ter uma atitude positiva da vida. Na resiliência, é o resultado da união da competência social, da proatividade e da autoeficácia.
Fonte: Exame

Nenhum comentário:

Postar um comentário